Rapaz com paralisia cerebral necessita de ajuda para continuar trabalhando

[Gente, muito obrigado! Batemos a meta inicial de R$45 mil e aumentamos por um motivo muito importante: A nova meta é para que Nego Nato e sua família consigam investir em mais maquinários, tendo mais oportunidades de trabalho em sua profissão. Continuem contribuindo!]

Renato, 30 anos, mais conhecido como Nego Nato mora na zona norte de São Paulo, Capital. Com apenas um mês de vida foi diagnosticado com paralisia cerebral em decorrência de complicações no parto.

Mas isso, em nenhum momento, foi empecilho para ele deixar de correr atrás dos seus sonhos!

Aos 15 anos, Renato ganhou seu primeiro computador, a partir desse momento começou a se interessar por artes gráficas. Encontrou muitas dificuldades em seu caminho, pois não encontrava um curso que o aceitasse devido as suas limitações.

Sem nunca desistir, Nego Nato começou a aprender sozinho através de tutoriais na internet. A princípio, ele usava uma escova de dentes (isso mesmo, uma escova de dentes!!!), para acessar o teclado do computador. 

Hoje, é o seu trabalho com artes gráficas que tem sustentando a casa onde vive com os pais.

Com a chegada da pandemia, os pedidos caíram demais. Hoje estão com vários aluguéis em atraso, contas de água e de luz.

A vaquinha foi criada para ajudar a família se manter no período da pandemia até que a vendas melhorem.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

Designer gráfico autodidata

A sua primeira máquina de impressão em porcelanas ele ganhou de uma amiga. Foi então que ele começou a produzir canecas com a impressão de suas artes gráficas.

A partir de uma publicação sua em um grupo de designers do Facebook, onde recebeu muitas críticas, a sua vida começou a mudar.

Bruno www.instagram.com/dznhista/, visualizou o seu trabalho e procurou saber mais sobre sua história. Publicou então um vídeo onde mostrava as limitações, a força de vontade e a qualidade dos seus trabalhos, a partir desse momento, Nego Nato começou a ser reconhecido e ter a venda dos seus projetos ampliadas.

Hoje, designer gráfico autodidata, Nego Nato já aperfeiçoou muito seus trabalhos e com eles conseguia se manter antes da chegada da pandemia.

Com o seu reconhecimento e aumento da produção, seu pai que era motorista de aplicativo, deixou o serviço para ajudá-lo.

Sua mãe, que desde o seu nascimento não pôde voltar a trabalhar pelos cuidados com Renato, já o ajudava na produção também.

A empresa de Nego Nato trabalha com todos os tipos de brindes para eventos e instituições. E hoje, a família depende desse trabalho para viver.

Quando a encomenda é próximo a sua casa, Nego Nato faz questão de ir até o cliente levar.

Nego Nato faz eventos solidários para ajudar famílias carentes

Esse rapaz incrível, todo ano em seu aniversário realizava o “Samba do Nego Nato”, evento social onde reunia os amigos com objetivo de arrecadar alimentos para famílias carentes. Ele também frequenta um grupo de capoeira. Para ele, não há limites.

Nego Nato gostaria muito de fazer um curso profissionalizante para aperfeiçoamento, abrindo assim, novos nichos de mercado para ele e sua família. Ele sonha em poder ter seu próprio cantinho e precisa de novos maquinários que os ajudem a produzir seus trabalhos de uma forma melhor. 

Todo valor arrecadado na vaquinha será para a compra de maquinários, para ajudar a família se manter durante o período da pandemia e quem sabe, para que Renato consiga ter seu próprio cantinho também.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

O valor mínimo da doação na plataforma é R$25,00 por conta das taxas bancárias e no Paypal é de R$40.

Se você quiser, pode combinar com os amigos e dividir o valor entre vocês, que tal?

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas em nossas redes sociais.

Problemas com pagamentos? Envie e-mail para [email protected]