Vaquinha para ajudar jovem pai que faz entregas com o filho

Gentee, batemos a meta em pouquíssimas horas, muuito obrigado! Agora o foco da vaquinha é construir o salão para que ele possa trabalhar perto da família!

Na noite da última quarta-feira (18), o jovem Isaque, de 20 anos, sozinho em casa com o filho Victor, de um ano e um mês, teve que sair para fazer entregas como bikeboy.

Faltava comida em casa. O gás de cozinha também. Dinheiro para comprar as fraldas do pequeno Victor não existia.

Como a esposa estava na escola e a sogra não estava em casa, colocou o bebê numa bolsa canguru e saiu trabalhar para conseguir comprar comida.

“Não tinha nada lá em casa. Não tive opção. Levei meu filho para ‘trabalhar’ comigo”, relembra. E, pedalando com o bebê em uma bolsa canguru, o homem saiu do bairro Pajuçara e pedalou até o Norte Shopping, onde costuma esperar por algum chamado do aplicativo.

Conhecemos o Isaque através do cantor Romarinho, da Banda Pretta, grupo de sucesso entre jovens de Natal, que quando presenciou o Isaque com o filho e com uma bicicleta para fazer as entregas, o abordou e fez um vídeo pedindo ajuda. O cantor também deu dinheiro para o jovem, já que ele não tinha conseguido fazer nenhuma entrega.

“Ontem à noite, quando eu estava saindo do shopping, me deparei com essa cena: um rapaz fazendo entregas no Ifood com uma criança numa bicicleta, isso chamou muito minha atenção e partiu meu coração”, disse em publicação.

A única renda fixa da família é o valor de R$200 que recebem pelo Bolsa Família. Isaque contou que “se vira” com as entregas para comprar comida e pagar as contas de casa.

“Sempre falta comida em casa, meu pai me ajuda com o aluguel de R$100. Infelizmente, as entregas não dão uma renda suficiente pra manter minha família”, desabafou.

O sonho do Isaque é ter uma casinha onde possa montar o seu salão! Isso mesmo, ele é cabeleireiro! Ficamos tocados com a situação e com a história do Isaque, e juntamente com o Romarinho, criamos a sua vaquinha na VOAA para que ele possa se manter até conseguir um emprego, ou até mesmo, quem sabe, conseguir o seu salãozinho. 

"Eu nunca trabalhei de carteira assinada, mas estou aberto às oportunidades que aparecerem. Meu sonho mesmo é ter um salão que eu possa trabalhar perto da minha família", contou.

Vamos mudar a história desse jovem pai de família?

Dúvidas de como contribuir, ou qualquer outro questionamento? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Graças a vocês que acreditaram na sua história e contribuíram com a sua vaquinha, hoje, ele comprou a sua casa com o valor arrecadado! Clique aqui e confira o post do momento.