Dona Sônia assa pães com forno emprestado do vizinho para criar a filha com paralisia. Vamos ajudar essa mãezona?

[Aumentamos a meta para que a dona Sônia possa investir no seu negócio com pães. Continue contribuindo!]

A dona Sonia Maria dos Santos, 58 anos, é uma guerreira. Essa mãezona tem feito de tudo para não deixar faltar à filha com paralisia, Daiane Toldeo, de 31 anos, fraldas e medicamentos, além de conforto e qualidade de vida.

A dona Sônia é analfabeta e faz “bicos” de faxineira em Itapoá (SC), mas com essa pandemia, ela ficou sem serviços. Foi quando encontrou nas vendas de pães caseiros uma alternativa. (Queremos muito, muito encontrar alguém que possa ensinar a dona Sônia! Alguém de Itapoá se disponibilizaria?!)

Mas tem um detalhe: ela não tem nem forno.

“Então eu empresto do vizinho, aí tiro o meu gás e levo na varanda para assar os pães”, conta.

Para ajudá-la a investir num forno, como também nos ingredientes dos pães, além dos custos e cuidados com a filha e sustento de casa, lançamos sua vaquinha.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

Pai da filha a abandonou quando ela ainda era bebê

A dona Sonia nunca teve o auxílio do pai da Daiane. Quando a menina tinha apenas 1 ano de vida, ele abandonou a família.

Hoje, ela vive apenas das vendas dos pães e do benefício da filha.

"Ele nunca ajudou, então sempre fiz tudo sozinha".

Porém, a drástica queda de clientes e uma lesão dos braços, causada pelos trabalhos da vida, fez Sonia apelar para a ajuda dos outros dois filhos e de clientes próximos, mesmo constrangida em pedir.

Seu sonho é sair do aluguel, já que metade da sua renda é comprometida com o valor da casa

No verão, dona Sônia faz geladinho e faz massa de macarrão e bolo quando sobra dinheiro para comprar os ingredientes. 

“Não tem dia nenhum que seja ruim pra mim, eu estando com ela é uma bênção de Deus, só me dói por dentro não poder dar uma assistência melhor para minha filha”, emociona-se.

Devido a meningite aos 5 anos de idade, filha foi perdendo os movimentos e a voz

Sonia contou que a filha entrou andando e conversando em um hospital de Curitiba, mas saiu entre a vida e a morte, amparada por aparelhos respiratórios.

Aos 15, quase partiu após uma cirurgia na coluna, onde deixou de andar de vez.

“É muito difícil pra gente, pois, quando ela está com dor, eu sofro também”, afirma a mãe que precisa de ajuda para identificar as medicações por não saber ler nem escrever. 

Vamos ajudar essa mãezona?!

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

O valor mínimo da doação na plataforma é R$25,00 por conta das taxas bancárias.

Se você quiser, pode combinar com os amigos e dividir o valor entre vocês, que tal?

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas em nossas redes sociais.

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Informações do texto: Folha Norte SC

 

Com a repercussão da vaquinha, Dona Sônia ganhou dois fornos! Agora, com o valor arrecadado vai conseguir comprar uma casinha para viver com a sua filha! Estamos tão felizes com o desfecho dessa história. VOAA, dona Sônia!