Campanha para jovem que orou ao entregar currículo, mas não consegue trabalhar por causa do isolamento pelo coronavírus

Uma foto do jovem Alamartiny da Silva Ferreira, 23 anos, ajoelhado e orando em frente a uma urna onde deixou seu currículo para uma rede de surpermercados em Balsas (MA) emocionou dezenas de pessoas, inclusive os responsáveis pelas contratações na empresa.

O vigilante que estava observando a cena, tirou a foto e mostrou aos responsáveis que imediatamente pediram o currículo, o chamaram para uma entrevista e pediu que começasse já no dia seguinte.

Mas, infelizmente, por conta da pandemia do coronavírus, que tem imposto as pessoas à quarentena e o autoisolamento, a empresa teve que voltar atrás, deixando incerta a proposta de emprego.

“Por enquanto estou revendendo os morangos na rua, mas as pessoas não estão mais saindo de casa, eu até falei para a minha mãe também não sair, ela é idosa e tem problemas de saúde”, disse.

Atualmente ele mora com a namorada, sogros e cunhado, onde ele ajuda na renda com a venda dos morangos. Mas, nem as vendas têm ido bem, também por conta do coronavírus.

“O pai da minha namorada trabalha com fretes, então hoje sou eu e ele para sustentar a casa”.

Alamartiny sempre trabalhou nas fazendas da cidade, mas hoje, seu sonho é um emprego com carteira assinada. Sua vontade de aprender e crescer é muito grande!

Para ele ter um suporte até que esse período difícil passe e que se concretize a proposta de emprego, lançamos a sua vaquinha na VOAA.

Para ajudar, é só clicar em CONTRIBUA. A doação pode ser feita por boleto ou cartão de crédito.

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

O jovem conseguiu um emprego e explicou com detalhes como usou o valor arrecadado na vaquinha. Clique aqui e assista.