Vaquinha para faxineira, que usou auxílio emergencial para vender frangos, não perder o seu negócio

Luana de Jesus, 33 anos, é moradora da cidade de Itabaianinha, em Sergipe e viu no auxílio emergencial do Governo Federal a oportunidade de começar o seu negócio.

Durante três meses ela juntou três parcelas de R$1.200. Segundo Luana, com R$200 ela pagava as contas de casa e o restante ela guardava para o seu negócio: vende frangos abatidos de domingo a domingo, das 7h às 12h.

Mas ainda faltam muitas coisas para o seu frigorífico como maquinário e ferramentas e sem isso, ela pode perder o seu negócio, já que a Vigilância Sanitária está exigindo esses itens.

A vaquinha é para essa empreendedora conseguir formalizar a sua empresa e ter tudo que um verdadeiro frigorífico tem.

"Quando eu fiquei sabendo que iria receber o dinheiro do Governo Federal, não pensei duas vezes em abrir meu próprio negócio que sempre sonhei e nunca tive oportunidade, sei que muitas pessoas fecharam seus comércios por conta da pandemia, mas eu vi uma oportunidade de crescer, pois tenho 3 filhos e tenho que pensar no melhor para eles" , disse Luana.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

"Aluguei um espaço que, inicialmente, era R$ 200,00, mas consegui pagar antecipado e ganhei um desconto. Também comprei uma mesa de inox, que custou até R$ 1 mil, pois a Vigilância Sanitária não permite a venda de frangos em mesas de madeira, além de uma balança. Essa semana, ganhei R$ 30,00 e comprei uma calculadora por R$ 26”, contou.

Com Bolsa Família pagou sua faculdade de Administração

Luana bota muita fé que alguma coisa, que ela não sabe dizer o que é, a empurrava para ser empreendedora.

Escolheu a administração e com o Bolsa Família pagava uma parte da faculdade e outra parte seu ex-marido complementava.

Ela já foi empregada doméstica, mas aquilo não era para ela, apesar de respeitar bastante a profissão.

Maravilhosa, apresentou seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) com uma “calça bem barata”, um par de sapatos emprestado e um blazer também emprestado por um professor da faculdade.

Para conseguir fazer o estágio na prefeitura, Luana precisou vender rifa de perfume para pagar as mensalidades atrasadas da faculdade.

Após o estágio, trabalhou em alguns frigoríficos – foi quando resolveu juntar o desejo de ser empreendedora com a experiência no ramo para abrir o próprio frigorífico, antes mesmo da crise estourar.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

O valor mínimo da doação na plataforma é R$25,00 por conta das taxas bancárias e no Paypal é de R$40.

Se você quiser, pode combinar com os amigos e dividir o valor entre vocês, que tal?

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas em nossas redes sociais.

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Problemas com pagamentos? Envie e-mail para [email protected]

Acompanhe a Luana pelo Instagram @frigorifico_conveniencia

Fonte: Só Sergipe