Campanha favelas esquecidas contra o coronavírus e a fome

“Os trabalhadores daqui estão passando fome. Muitas pessoas têm trabalho informal, ficam sem condições de sobreviver. Não tem propostas para as áreas pobres, favelas e ocupações”. Mas, com a sua ajuda, nós vamos mudar isso.

Com um pouco de cada um, nós vamos distribuir 2.000 cestas básicas para 8 comunidades diferentes. Faça parte deste movimento! Clique acima, em "Contribua" e faça a sua doação (em boleto ou cartão de crédito).

 

Milhares de moradores estão vivendo no isolamento social sem ter o que comer, além da pouca infraestrutura e baixa cobertura de serviços de saúde.

A Dique da Vila Gilda (SP), maior favela sobre palafitas do Brasil, é uma das 8 comunidades que serão beneficiadas com a vaquinha.

Assim como em centenas de favelas brasileiras, eles estão “sobrevivendo” diante da pandemia do coronavírus por falta de ações dos governos. Ronaldo Pereira, líder da comunidade, conta que cerca de 20 mil pessoas estão nesta situação.

Segundo dados da pesquisa Data Favela/Instituto Locomotiva divulgada em 24 de março, 13,6 milhões de pessoas moram em favelas no Brasil e 97% já mudaram a rotina por causa do coronavírus.

Porém, 86% teriam dificuldades para comprar comida e outros itens básicos se precisarem ficar em casa, sem gerar nenhuma renda

Para garantir a alimentação dessas comunidades durante esse período difícil da pandemia, o empresário Cláudio Thiago de São Paulo mobilizou líderes de 8 favelas brasileiras são elas:

1- São Rafael (Guarulhos/SP)

2- Vila Penteado (Zona Norte de SP)

3- Morro da Pinga (Zona Norte de SP)

4- Mata  Porco  (Zona Leste de SP)

5- Cidade Tiradentes (Zona Leste de SP)

6- Jardim Palmares (Cotia/SP)

7- ParaPedro (Complexo do Alemão/RJ)

8- Dique da Vila Gilda (Santos (SP)

“Os líderes dessas comunidades estão cadastrando as famílias em situação mais grave de fome. Registraremos as compras através das notas fiscais e recibos e fotografaremos as entregas”, disse Cláudio. 

 

A campanha visa doar 2 mil cestas básicas e, caso ultrapasse a meta, mais famílias serão beneficiadas.

Estas pessoas precisam de ajuda agora, não podem esperar. Contribua e ajude a levar esperança para estas comunidades.

Cada cesta básica custa, em média, R$140 e atende por 40 dias uma família. Clique aqui e acesse a lista completa de itens que vão na cesta.

A distribuição será feita de acordo com o levantamento e cadastro das famílias que cada líder fará.

Além do desemprego, a epidemia também dificultou doações a essas famílias, grupos que levavam alimentos as comunidades estão evitando subir o morro para evitar o risco de contágio. 

Para ajudar, é só clicar em CONTRIBUA. A doação pode ser feita por boleto ou cartão de crédito.

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas.

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Acompanhe todas ações e entregas da campanha em @favelasesquecidas.

Parte I: mais de 1.800 cestas básicas foram entregues com a campanha, gente. Confira o post de uma das entregas clicando aqui.