Construção da casa dos idosos que sozinhos cuidam dos 16 netos

Seu Gilberto, 54 anos, e Dona Ângela, 52 anos, são coletores de recicláveis há mais de 30 anos em Sorocaba, interior de São Paulo. É com a coleta que eles sustentam os 16 netos pequenos.

Eles vivem num “puxadinho” em situação de extrema pobreza num terreno que foi doação.

O teto tem buracos, as paredes estão rachadas, não tem piso, teto e nem sistema de esgoto, apenas “fossas” abertas no quintal.

Na casa não tem cama para todo mundo. Eles necessitam de tudo, desde coisas simples como materiais de higiene como roupas de cama e colchão.

E quando chove, molha o pouco que eles têm.

A vaquinha é para construir uma casa bem grande para os idosos, além de suprir as necessidades acima.

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

Foto: Fábio Rogério/ Jornal Cruzeiro do Sul

Voluntários conheceram história dos idosos quando um deles revirava o lixo a procura de comida

A moradora Prisicilla Carriel contou que a história dessa família chegou até ela após uma amiga, Ana Carolina Piccini, se deparar com a dona Ângela coletando recicláveis e procurando comida num contêiner.

Elas e um grupo de amigos abraçaram a causa para a construção de uma casa para a família.

Juntos, realizaram uma primeira vaquinha (já encerrada), que conseguiram R$45 mil. Mas, como o terreno e a construção vão ser grandes e complexos, o valor será interado na nossa vaquinha oficial.

Vocês podem acompanhar toda a história pelo Instagram @ajudeafamiliacamargo

Pais das crianças são ausentes

Os pais das crianças moram no mesmo terreno do Seu Gilberto e Dona Ângela em “puxadinhos” bem pequenos.

Todos os membros da família comem na casa dos idosos, ou seja, os avós são quem sustentam e responsáveis pelos netos.

“As crianças são bem cuidadas, elas frequentam a escola regularmente (tanto que recebem Bolsa família) e são tratadas como prioridade pelos avós”, afirmou Priscilla.

Ela confirmou também que o CRAS passou a acompanhar a família.

"Apesar de todos trabalharem, é muita gente e reciclagem é um dos setores mais afetados pela pandemia".

Portanto, a vaquinha prioriza a construção da casa dos idosos, que precisa ser grande!

Para a dona Ângela cozinhar, o marido improvisou uma lona na “garagem”. Tem somente um fogão, uma geladeira que só funciona o freezer, e um tanque.

“Agora eles não estão passando fome, nem frio, conseguimos arrecadar com os amigos”.

A casas não tem estrutura e o terreno não é plano 

Para contribuir, clique acima em "Contribua" e faça a sua doação em boleto, cartão de crédito ou Paypal.

O valor mínimo da doação na plataforma é R$25,00 por conta das taxas bancárias.

Se você quiser, pode combinar com os amigos e dividir o valor entre vocês, que tal?

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas em nossas redes sociais.

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Parte I: seu Gilberto e Dona Ângela mandam um recado muito especial para todos que já contribuíram na vaquinha. Clique aqui e assista ao vídeo.