Campanha para torcedor construir casa de família carente

Numa quarta-feira de jogo e chuvosa, o torcedor Alexandre Barros, 40 anos, conheceu o pequeno Messias, 14 anos. De chinelo e tomando chuva, o menino tentava a sorte de conseguir um ingresso para assistir ao jogo do seu time de coração.

Mais do que realizar o sonho do menino de assistir ao jogo, o Alexandre quis conhecer a família e ajudá-la. Abraçamos essa missão com ele e lançamos a sua vaquinha na VOAA. 

A vaquinha é para o Alexandre conseguir construir a casa, que não tem banheiro e infraestrutura alguma. A família vive em condições precárias, onde 6 pessoas dividem uma cama.

O encontro do torcedor com os meninos

Quando o Alexandre encontrou o Messias, o menino foi até ele perguntar se teria ingresso sobrando para assistir ao jogo. Todo jogo do Corinthians, o menino vai com os seus amigos na esperança de conseguir entrar com os amigos.

Frequentador assíduo do estádio, o empresário conta que ele e seu grupo de amigos sempre tentam ajudar os meninos, embora isso nem sempre seja possível.

Por sorte, naquela quarta-feira, a última do mês de fevereiro, o Alexandre tinha ainda mais um ingresso quando Messias foi falar com ele.

Eu falei para ele vir comigo, pois tentaria colocá-lo para dentro. Estava ventando muito, e o garoto falou para mim que estava com frio. Ele estava tremendo. Aí eu fui lá dentro, comprei um moletom do Corinthians e dei para ele”.

No caminho, o menino reencontrou com dois amigos que tinham se perdido, foi então que o torcedor também ajudou eles a entrarem. Não foi fácil e tudo conspirava contra eles naquele dia.

Restavam poucos minutos para o início da partida, mas a bilheteria ainda estava aberta. O torcedor então comprou mais dois ingressos e partiu com Messias, Mikael e Miguel para a fila de entrada. No entanto, havia um problema: menores de idade só podem adentrar o estádio com um responsável legal ou com alguma autorização formal.

Alexandre então procurou um funcionário do clube, e nitidamente emocionado, acabou comovendo a segurança e conseguindo a liberação.

"Eu só fui uma peça chave para que eles continuem buscando o sonho deles. Eu segui um pouco o meu coração e a coisa aconteceu".

Não é só futebol!

Ainda, depois deste dia, o Alexandre quis conhecer a família do Messias, pois ele queria levá-lo para fazer um tour no estádio. Mas quando viu a situação em que a família do menino vivia, viu que não poderia simplesmente ir embora de lá.

Vivem na pequena casa na favela de Vila União, Zona Leste de São Paulo, o Messias, 14 anos, seus irmãos Felipe, 15 e João Lucas, 17, além dos pais, o pedreiro, desempregado há anos, Vaudeci Cordeiro da Silva e a mãe, catadora de recicláveis, que teve seu carrinho furtado, Roseli das Dores.

O Messias ainda tem a irmã Mikaeli, 19 (que tem um filhinho, o Davi) que mora com o namorado e o irmão mais velho, Luís Fernando, 22 anos, que vive sozinho e enfrenta problemas com alcoolismo e a Luana, 21 anos, que também mora em outra casa.

 

"O João Lucas e o Luís Fernando sofrem de transtorno mental e possuem dificuldades de aprendizagem", explicou Alexandre.

Fotos: Reprodução/Mesa Redonda TV Gazeta

Eu trabalho no ramo de obras e quero ajudar essa família na construção da casa. Quero também qualificar o seu Valdeci para que ele volte a trabalhar”, afirmou Alexandre.

Para ajudá-lo nesta missão, lançamos a sua vaquinha na VOAA. A vaquinha é para construir a casa da família que vive em condições desumanas!

Acreditamos muito que esse é o momento que todos os torcedores de todos os times se unem em prol do próximo!

Vamos ajudar essa família a ter uma casa digna?

Dúvidas de como contribuir, ou qualquer outro questionamento? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

A reforma na casinha do Messias e do João já está acontecendo com o valor arrecadado na vaquinha! Já estamos ansiosos para ver o resultado final. Clique aqui e confira o post do momento.