Ajude a proteger a população em situação de rua de São Paulo do coronavírus

[Batemos a primeira meta, Obrigado! Mudamos agora para a segunda meta, para conseguir atender mais pessoas ainda e por mais tempo <3]

Uma das principais orientações dos órgãos de saúde diante do coronavírus é para que a população fique o máximo possível em suas residências. Mas como fazem aqueles cujo o lar é a sarjeta?

Outra orientação é lavar as mãos com frequência, utilização de álcool em gel e a higienização dos objetos de maior utilização. E como ficam as pessoas que não tem acesso aos banheiros, água potável e muito menos materiais de higiene?

Na condição de excluídos, os moradores de rua se constituem assim num grupo de altíssimo risco diante da pandemia do coronavírus.

Sem água, sabonete e álcool em gel, população de rua de São Paulo fica à mercê das medidas de prevenção.

Para atender essa população, os moradores de São Paulo, Bruno Victor, publicitário, e Tiago Dias, relações públicas, juntamente com o projeto Missão Belém e o projeto Consultórios na Rua/ Bompar estão arrecadando fundos para a compra desses itens de prevenção:

  • Álcool gel
  • Sabonete líquido
  • Toalhas de papel (mãos)
  • Luvas
  • Máscaras (urgência)
  • Infraestrutura ( como o deslocamento para atender os moradores de rua)

Para ajudá-los, lançamos a sua vaquinha na VOAA.

“Queremos atender emergencialmente 1 mil moradores de rua, caso a epidemia piore, precisaremos de mais kits”, relataram.

Falar “Fique em casa!” é fácil... pra quem tem casa! 

A Missão Belém, que há quase 15 anos está próxima a população de rua de São Paulo, hoje acolhe cerca de 2.300 pessoas em suas 180 casas/famílias.

 

Cerca de 700 são doentes que estavam nas ruas e por volta de 200 pessoas em situação de rua se aproximam diariamente das casas.

 

A Bompar constitui-se em equipes de saúde que atendem pessoas em situação de rua em toda sua integralidade, de casos mais simples a casos mais complexos.

 

No município de São Paulo, eles têm 18 equipes compostas por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, agentes sociais e agentes de saúde para prestar atendimento integral a essas pessoas.

 

Com a chegada do outono, a situação se agrava, pois o frio não traz somente mais desconforto para as pessoas em situação de rua, traz também o agravamento do contágio.

 

Para as próximas semanas, há previsão que o número de infectados no Brasil atinja a marca dos 5 mil

 

 

 

De acordo com Pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social em 2019 mostra que na capital paulista são 24 mil as pessoas que vivem em situação de rua.

 

Contribuindo com essa ação, você não só estará ajudando a proteger a população em situação de rua, mas também estará tomando uma atitude concreta no sentido de conter o avanço desta pandemia.

 

Para ajudar, é só clicar em CONTRIBUA. A doação pode ser feita por boleto ou cartão de crédito.

 

Outras dúvidas? Nos mande WhatsApp clicando aqui.

Após nossa vaquinha, milhares de moradores de rua de SP já receberam kits de higiene com máscaras, ficamos felizes em saber que muitas pessoas que não têm casa estão mais protegidas! Clique aqui e confira o post do momento. Você também pode saber muito mais sobre todo o desfecho dessa vaquinha clicando aqui.